Congresso da CUT-SC inicia com destaque sobre a importância da união dos trabalhadores

Imprimir
AddThis Social Bookmark Button

Mais de 450 pessoas participaram da abertura do 12º Cecut. Com bandeiras vermelhas, cartazes com reivindicações e muita energia para lutar, mais de 450 trabalhadores e trabalhadoras, de todas as regiões de Santa Catarina, deram início ao 12º Congresso Estadual da CUT-SC – CECUT.

 O Congresso começou na manhã do dia 19 de agosto, no Hotel Canto da Ilha, em Florianópolis e vai até a tarde do dia 21. Com o objetivo de definir as ações estratégicas da central e eleger a nova direção da CUT-SC, a maior central dos trabalhadores de Santa Catarina, reservou esses três dias para debates e avaliar suas ações, frente os recorrentes ataques aos direitos dos trabalhadores.

A mística de abertura trouxe como reflexão a importância da luta para garantia dos direitos dos trabalhadores, com imagens de crianças perguntando sobre direitos e de trabalhadores saindo do seu local de trabalho para ir à luta. O momento ficou marcado pela importância da unidade e de que é preciso força nesse período de enfrentamento.

A mesa de abertura contou com a representação de todos os ramos que compõem a CUT-SC, de representantes de movimentos sociais, dos deputados estaduais de Santa Catarina que são comprometidos com a pauta dos trabalhadores e da CUT nacional. A FETRAF-SUL/CUT no Estado também participa do evento representando a agricultura familiar catarinense.

A agricultora familiar e Secretária de Comunicação da CUT nacional, Rosane Bertotti, chamou para que todos venham para a luta.  “Usamos a camisa vermelha com muito orgulho, já fizemos muita história, já conquistamos muito para a classe trabalhadora e vamos continuar a conquistar. Precisamos dizer para os nossos netos onde nós estávamos no momento da luta, é nossa responsabilidade deixar um país melhor para todos e todas”, salientou a catarinense.

Na programação do Congresso estão diversos debates e trabalhos de grupo para avaliação do texto que será o texto base para os próximos quatro anos. “O texto base escrito a muitas mãos, define o plano de lutas da central e os rumos da maior central dos trabalhadores de Santa Catarina”, explicou Neudi.
Informações: Silvia Medeiros – CUT/SC