Voce esta aqui: Notícias Agricultura de SC estima ter perdido R$ 59.838 mil com as chuvas

Agricultura de SC estima ter perdido R$ 59.838 mil com as chuvas

E-mail Imprimir PDF
AddThis Social Bookmark Button
Um levantamento realizado pelo Centro de Socioeconomia e Planejamento Agrícola da Epagri (Cepa), divulgado nesta sexta-feira (28), mostra que a agricultura do Estado foi bastante prejudicada com as fortes chuvas deste mês. Estima-se que Santa Catarina tenha perdido R$ 59.838.000.
A completa avaliação acontecerá após a recuperação das vias de acesso às propriedades rurais, com análises localizadas das perdas.
“Estamos trabalhando em todos os municípios afetados. Em Mirim Doce e Taió destacamos uma verdadeira força-tarefa para não só fazer o levantamento de perdas, mas auxiliar o nosso pequeno agricultor familiar no que for possível”, conta o presidente da Epagri, Luiz Hessmann.
O levantamento afirma que essas perdas não representam riscos para a economia catarinense, nem devem provocar o desabastecimento de produtos.
“As chuvas aconteceram principalmente no litoral norte, sul e vale do Itajaí, que não são as regiões mais expressivas na agricultura estadual. Além disso, foram chuvas em volume significativo, porém de forma localizada, e não se estenderam por muitos dias”.
Veja as estimativas iniciais de perdas nas principais culturas:
Arroz: 68.950 toneladas ou 6,6% da produção ou R$ 35.951.000
Banana: 4.442 toneladas ou 0,7% da produção ou R$ 1.555.000
Feijão: 1.517 toneladas ou 0,8% da produção ou R$ 1.928.000
Fumo: 1.984 toneladas ou 0,8% da produção ou R$ 12.322.000
Milho: 8.955 toneladas ou 0,3% da produção ou R$ 3.166.000
Hortaliças: 4.400 toneladas
Ilmar Borchardt, da Epagri/Cepa informa que há relatos de perdas em outras culturas como é o caso da uva em Pedras Grandes, no Sul do Estado, de moluscos na Região Norte, trutas que foram perdidas em tanques no município de Taió, além de mortes de animais (bovinos, suínos e aves) por afogamento, sempre de forma localizada.
Considerando-se que cerca de 60% dos produtores rurais catarinenses tem contratos de financiamento com o Pronaf, nos casos onde a perda de produção for superior a 30% do esperado, os extensionistas locais da Epagri e agentes do Banco do Brasil estão a postos para o encaminhamento da securitização agrícola.
Fonte: EconomiaSC

Adicionar comentário


Código de segurança
Atualizar

Joomlart