Voce esta aqui: Notícias Produtores de fumo de SC reclamam de critérios para comercialização

Produtores de fumo de SC reclamam de critérios para comercialização

E-mail Imprimir PDF
AddThis Social Bookmark Button
O ano de 2011 não começou como os produtores de fumo de Santa Catarina esperavam. Com o preço em baixa, os agricultores ainda enfrentam outro problema: as empresas fumageiras estão mais criteriosas com a seleção do tabaco. Para tentar negociar a situação, os produtores decidiram não entregar seus produtos às empresas até o próximo dia 31, quando ocorrerá uma rodada de negociações na cidade gaúcha de Santa Cruz do Sul.

A produção desta safra tem boa em quantidade, porém o problema está na qualidade do produto.
As empresas do tabaco se aproveitam desta situação para aumentar os critérios de seleção na escolha do produto a ser comercializado. Com isso, muitos produtores do Estado acabam por ficar com sua produção encalhada, sem ter para quem vender. No Sul do Estado, apenas 20% da produção foi comercializada, sendo que janeiro e fevereiro costumam ser o pico das vendas.
E isso também vem se refletindo no preço pago aos agricultores. “Enquanto na safra passada estavam pagando em torno de R$6,35 o quilo, nesta colheita este preço baixou para R$ 5,20, em média”, conta o técnico.
Sistema Integrado
No Brasil, a produção de fumo funciona através de um Sistema Integrado dos produtores e das empresas tabagistas. Através dele, as empresas determinam a quantidade a ser produzida. Dependendo da demanda internacional – cerca de 80% do que é produzido vai para exportação -, as empresas aumentam ou diminuem os pedidos aos produtores.
“Esse sistema faz com que nosso produto tenha uma qualidade internacional respeitada, porém deixa os produtores um pouco desprotegidos, uma vez que o preço fica estabelecido por parte das empresas”, diz Ripplinger.
A produção em Santa Catarina
A produção nacional de fumo se concentra quase totalmente nos três Estados do Sul. Santa Catarina é o segundo maior produtor, atrás do Rio Grande do Sul. Dados do IBGE e da Afubra indicam que o Estado abriga cerca de 55 mil produtores de fumo e responde por 32% da produção nacional.
De acordo com a Síntese Agrícola Anual do Centro de Socioeconomia e Planejamento Agrícola (Cepa), a área plantada vem se mantendo estável durante os últimos anos no Estado. As principais áreas produtoras são o Sul (31%), o Vale do Itajaí (26%) e o Norte do Estado (23%). Canoinhas é o município que mais produz fumo em Santa Catarina, com mais de 56 mil toneladas na safra 2008/2009. Em seguida, aparece o município de Araranguá, no Sul do Estado.

LEONARDO GORGES
Fonte: EconomiaSC

Adicionar comentário


Código de segurança
Atualizar

Joomlart