Voce esta aqui: Home

O jovem e a sucessão familiar no meio rural

E-mail Imprimir PDF
AddThis Social Bookmark Button
m_SNV87863

A sucessão familiar é um dos temas que mais preocupa a Federação dos Trabalhadores na Agricultura Familiar da Região Sul (FETRAF-SUL/CUT), pois, a maioria dos jovens agricultores está optando em deixar as propriedades e encontrar outras oportunidades de trabalho nas cidades. Porém, se de um lado percebe-se que milhares de propriedades rurais no sul do país não possuem sucessores, de outro, vê-se jovens buscando alternativas para permanecer no campo.

Em um levantamento recente divulgado pelo Ministério do Desenvolvimento Agrário (MDA), com base em dados da Pesquisa Nacional por Amostra de Domicílio, revelou-se que o rendimento da população brasileira apresenta ganho real de 16% e este índice na agricultura familiar é maior que 50%, demonstrando que alguns jovens estão retornando para o campo e para a atividade agrícola.

Algumas políticas públicas do governo Federal, como por exemplo, o Pronaf Jovem, Nossa Primeira Terra (Plano Nacional de Crédito Fundiário), Programa Nacional de Acesso ao Ensino Técnico e Emprego no Campo (Pronatec) e a Assistência Técnica e Extensão Rural (ATER) para jovens, apoiam o jovem agricultor fazendo com que este permaneça na propriedade. Porém, essas políticas públicas necessitam de melhorias para que mais jovens possam acessá-las. “O jovem não deixa a propriedade porque quer, mas porque não encontra oportunidades de ampliar a renda e de lazer no meio rural. As políticas públicas implementadas possuem pouco acesso, elas precisam ser reestruturadas para os jovens tenham condições de acessá-las”, disse a coordenadora do Coletivo de Jovens da FETRAF-SUL/CUT, Jucimara Araldi.

Para a FETRAF-SUL/CUT, os governos Estaduais e Federal devem investir em políticas nos setores da cultura, lazer, esportes e que garantam a acessibilidade à internet e telefonia móvel, renda e trabalho decente no meio rural. “Estas são ferramentas que vão definir a permanência dos nossos jovens na agricultura familiar. O campo deve oferecer a mesma tecnologia e modernidade que o jovem pode encontrar na cidade”, ressaltou Jucimara. A educação para o campo, com atividades e assuntos sobre o meio rural também é fator determinante para que os agricultores permaneçam nas propriedades.

Comentários  

 
#1 Margarida Barbosa 08-12-2015 10:37
Acredito que, conforme ressaltou Jucimara, se tivesse a mesma tecnologia e modernidade que o jovem pode encontrar na cidade, as famílias não deixariam o campo. Atividades recreativas são de grande importância para as crianças e jovens do campo também.
Citar
 

Adicionar comentário


Código de segurança
Atualizar

Joomlart