Imprimir
Publicado: 29 Agosto 2016
Acessos: 2486


Para fazer a mediação dos debates o coordenador Jonas Ansolin do Sintraf trouxe as representantes da Gerencial Executiva da Previdência Social de Chapecó, Célia da Costa Brandolt Garcez e a Professora Universitária e Assistente Social da Previdência Elisônia Carin Renck, o coordenar da Fetraf Alexandre Bergamin e o assessor de formação Professor Neuri Adílio Alves.
Na abertura da atividade o coordenador Jonas agradeceu a presença de todos, agradeceu o padre Nilson chamando motivador, parceiro na convocação dos agricultores durante suas atividades pastorais pelo interior do município. O padre deu boas vindas a todos os participantes e disse que sua ação pastoral em defesa da justiça e dos direitos de todos os trabalhadores.
Segundo Jonas o objetivo da atividade é debater as consequências de uma reforma da previdência que acena atingir diretamente os trabalhadores da agricultura. Como diretor da Fetraf SC e coordenador do Sintraf assume a responsabilidade de fazer a luta em defesa dos direitos dos trabalhadores da agricultura. E como cidadão tem o dever alertar todos trabalhadores de Dionísio e Região sobre as ameaças de retirada de direitos que estão tramitando no legislativo federal.
A professora e assistente social da previdência Elisônia em sua fala fez uma explanação sobre a importância da Previdência e Assistência Social a partir do que foi concebido pela Constituição de 1988. Segundo Elisônia, a Previdência é uma das maiores conquistas da classe trabalhadora, e junto com a Assistencial Social é responsável pela retirada de milhares de trabalhadores da situação de vulnerabilidade e exclusão, de modo especial aos trabalhadores da Agricultura.
O assessor de formação da Fetraf Santa Catarina professor Neuri Alves, apresentou as razões pelas quais a Fetraf Brasil é contra as propostas de reforma da previdência em debate atualmente no país. Segundo o professor: ‘’a Fetraf não é contra a reforma da previdência porque tem na entidade diretores teimosos, a entidade é contra pela forma como a mesma vem senso imposta, pelas razões insustentáveis apresentadas como ‘Déficit’, ‘Pouca Contribuição’, ‘Aposentadoria muito cedo’, ‘Salário muito alto’ entre outros’’. Apresentou dados contundentes mostrando que em 2015 o governo arrecadou 694,4 bilhões em contribuições ao caixa da Previdência e Seguridade Social, deste montante arrecadado pagou em benefícios um total de 683,2 bilhões, números que comprovam um saldo positivo de mais de 11,2 bilhões no caixa do governo. Sem contar a sonegação e dividas das grandes empresas com o governo federal, que chegam a mais de 1 trilhão somente no ano de 2015. Professor Neuri concluiu sua fala apresentado que a previdência pagou mais de R$ 469 milhões em 2015 na região extremo oeste e deste valor, só o município de Dionísio recebeu mais 40 milhões. Estes números disse o professor comprovam que a defesa da previdência precisa ser de toda sociedade, pois a economia dos municípios depende em grande parte do salário de aposentados e demais benefícios pagos pela seguridade social. ‘’Ou todos trabalhadores somam força na defesa dos direitos conquistados ou o risco de todos nós sermos devorados pela irresponsabilidade de políticos sem compromisso é o preço que podemos pagar’’
O coordenador da Fetraf Alexandre Bergamin, fez o fechamento do Seminário convocando todos os trabalhadores e trabalhadoras para as mobilizações que devem acontecer em breve em todo país para defender o direito dos segurados especiais da Agricultura. E disse Bergamin: ‘’Não aceitaremos que o governo realize uma reforma da previdência jogando sobre os Segurados Especiais (Beneficiários da Agricultura) a culpa por um saldo negativo no caixa da previdência que não existe. Não aceitaremos aumentar a idade da aposentadoria do agricultor e agricultora para 65 de idade, pois nós agricultores começamos a trabalhar muito cedo; Não aceitaremos que realizem a desvinculação do aumento dos benefícios previdenciários e assistenciais como ocorre na regra atual de aumento do Salário Mínimo pois a consequência disso é o congelamento na valorização do benefício dos aposentados. Por isso, a luta contra a reforma é de todos, dos aposentados e dos que ainda vão se aposentar, uma vez que o prejuízo é para todos. – Direito não se Reduz, Direito se Amplia, finalizou’’

Sintraf-Dionisio5

Sintraf-Dionisio4

Sintraf-Dionisio3

Sintraf-Dionisio2